GIRLSPT.COM - Cursores Animados
A Magia do Espelho: Agosto 2009

A Magia do Espelho

Espaço para devaneios, reflexões, desabafos, dicas culturais e otras cositas más

Estou de volta!


Poucos, porém fieis leitores, faz um bom tempo que não posto nada neste espaçozinho gostoso e pedaço de mim. É que tenho andado ocupada, estudando para me aperfeiçoar em uma profissão que já nem precisa de nível superior, mas, enfim, conhecimento para mim ainda é algo muito importante e eu quero sempre aprender mais.

Não sei quando poderei escrever coisas banais, coisas da vida, coisas que tenho pensado em escrever, mas não tenho conseguido. Enquanto isso, irei postando algumas matérias que tenho feito no curso para o curso de jornalismo científico. Elas são um pouco longas. Se vocês tiverem tempo e disposição para lê-las, espero que gostem e agradeço antecipadamente pelas críticas.

Bem, segue a primeira matéria, feita para a disciplina de Astronomia e Física. Boa leitura!

Existe vida além da Terra?


A vastidão do Universo tem intrigado o homem desde os tempos mais remotos. Os conhecimentos limitados da ciência sobre os segredos do Universo e o misticismo inerente ao ser humano têm alimentado há séculos uma pergunta: estamos sozinhos no Universo?

Por Dháfine Mazza


Imagine que um dia, ao acordar, você descubra que a Terra foi invadida por seres de outro planeta. Como você reagiria a essa notícia? Há séculos essa possibilidade causa inquietação em muitos seres humanos e, nas últimas décadas, tem servido de tema para dezenas de filmes milionários de Hollywood. O temor de a Terra ser invadida por alienígenas fez com que, em 1938, milhares de cidadãos de Nova Jersey entrassem em pânico após ouvir no rádio a dramatização da obra “Guerra dos Mundos”, do escritor inglês Herbert George Wells.


O tom jornalístico imprimido pelo radialista Orson Welles à dramatização, aliado à tensão Pré-Segunda Guerra Mundial e ao pouco conhecimento de grande parte da população sobre questões relativas ao Universo, fez com que as pessoas acreditassem que a Terra estava sendo invadida por um exército de marcianos. Levou algum tempo até que os moradores de Nova Jersey entendessem que tudo não passou de uma “pegadinha”.


Mas se a Terra fosse mesmo invadida por extraterrestres, qual seria o interesse dos ETs nos seres humanos? Seriam eles nossos amigos ou inimigos? As duas possibilidades já foram mostradas em filmes de sucesso, como E.T. – O Extraterrestre (1982), de Steven Spielberg, onde crianças estabelecem uma amizade sincera com um ser de outro planeta, e Independence Day (1996), de Roland Emmerich, que mostra a tentativa alienígena de dominar a Terra.


Para os ufólogos, pesquisadores que estudam os UFOs (Unidentified Flying Object) ou Óvnis (Objetos Voadores Não-Identificados), mais do que ficção, o domínio da Terra por seres extraterrestres é uma realidade cada vez mais próxima. Eles acreditam que, no passado, humanos e alienígenas viveram em harmonia, mas, com o tempo, surgiram conflitos incontornáveis que obrigaram os alienígenas a retornarem ao seu planeta de origem. De acordo com o ufólogo Reginaldo de Athayde, diretor do Centro de Pesquisas Ufológicas do Ceará (CPU), fundado em 1959, atualmente os extraterrestres estão buscando restabelecer o vínculo com os humanos. “Eles estão reaparecendo devagar, com cuidado, para ganhar a confiança dos humanos. Tudo faz parte de uma estratégia, assim como os brancos fizeram com os índios: conquistaram sua confiança e depois os dominaram”, afirma.


Conforme Athayde, os extraterrestres estariam, pelo menos inicialmente, interessados em obter amostras minerais e biológicas da Terra para realizarem pesquisas em seus planetas de origem. “Assim como nós realizamos pesquisas com os animais para tratar de doenças humanas, os ETs fazem a mesma coisa, mas com humanos no lugar de animais. Durante as abduções, eles fazem experimentos com os humanos e até se reproduzem com a nossa espécie. Outros experimentos levam mais tempo ou custam a vida do humano, por isso existe um grande número de pessoas desaparecidas no mundo”, diz o ufólogo.


Para elaborar teorias como essa, os ufólogos se baseiam na interpretação dos relatos de culturas antigas, nas religiões de povos indígenas e em importantes construções distribuídas na Terra. Para Reginaldo de Athayde, somente com uma tecnologia avançada, vinda de outro planeta, seria possível construir, por exemplo, as Pirâmides do Egito e o Templo de Stonehenge, na Inglaterra.


Apesar do grande número de histórias e relatos de pessoas que afirmam ter tido contato com seres de outro planeta, além da enorme quantidade de fotos, vídeos e objetos supostamente pertencentes a extraterrestres, não existem provas científicas da existência de vida fora da Terra. “As pesquisas e mostras realizadas pelos ufólogos são completamente amadoras. Até hoje, nenhum ufólogo apresentou uma prova científica da existência de extraterrestres. Há séculos os cientistas estão empenhados em estudar o Universo e nunca se descobriu nada que indicasse a existência de vida extraterrestre”, destaca o astrônomo Demerval Carneiro, diretor do Planetário Rubens de Azevedo, localizado no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza (CE).


Para o astrônomo, por ser o homem um ser místico, ele necessita acreditar em algo e encontrar explicações para as coisas que ele ainda não compreende. Dada a vastidão do Universo, é difícil para o homem acreditar que está sozinho, assim como é difícil explicar como algumas construções históricas foram feitas e o que são as luzes que cortam os céus vez por outra. “As afirmações dos ufólogos e das pessoas que dizem ter tido experiências com extraterrestres estão baseadas na fé, não na ciência”, enfatiza Carneiro.


O astrônomo esclarece que nenhum cientista nega a possibilidade da existência de vida em outros pontos do espaço, uma vez que as imagens capturadas pelo potente telescópio espacial Hubble, em funcionamento desde 1990, indicam a existência de mais de um trilhão de galáxias no Universo, cada uma possuindo uma média de 100 bilhões de estrelas. “Deve haver no Universo algum sistema estelar bem mais desenvolvido que o nosso, mas, até agora, nada foi detectado pelos cientistas. Não descobrimos indícios de que existe vida além da Terra nem que um dia já existiu, nem mesmo em Marte, onde as condições são mais favoráveis à existência de vida”, afirma Demerval Carneio.


Apesar de não ser a única, a questão da existência de vida extraterrestre continua na pauta dos cientistas, que pesquisam e se esforçam para compreender um pouco mais o Universo. Para alcançar esse objetivo, os cientistas contam com a ajuda de equipamentos e técnicas especiais. Com esse auxílio, foi possível descobrir a existência de sistemas estelares semelhantes ao sistema solar, mas com mais estrelas que o nosso.


Nos sistemas binários – com estrelas que giram uma ao redor da outra, por uma atração gravitacional mútua – os cientistas conseguiram detectar a presença de planetas – denominados exoplanetas ou planetas extra-solares – orbitando as estrelas. Os planetas descobertos são semelhantes a Júpiter: gigantes e gasosos. Assim, a probabilidade da existência de vida nesses planetas é praticamente zero.


Até o momento, já foram descobertos mais de 300 exoplanetas. Em abril de 2009, uma equipa de astrofísicos liderada pelo suíço Michel Mayor identificou um planeta semelhante à Terra orbitando a estrela Gliese 581, na constelação da Balança. Trata-se do exoplaneta batizado de Gliese 581e, quinto a ser observado neste sistema estelar. A descoberta é relevante por ser o Gliese 581e o menor exoplaneta descoberto até então, com pouco mais de 1,9 vezes a massa da Terra.


O Gliese 581e está a 20,5 anos-luz de distância da Terra e leva 3,15 dias para completar uma volta em torno da estrela principal do sistema. Com a descoberta, os cientistas puderam observar ainda que o planeta “d” desse sistema encontra-se na Zona de Habitabilidade” da estrela, ou seja, a uma distância da estrela principal que torna possível a existência da vida. Para os cientistas, a descoberta representa um marco na Astronomia. O desafio agora é encontrar um planeta rochoso, assim como a Terra, na Zona de Habitabilidade da estrela principal de algum sistema.


Segundo Demerval Carneiro, outro importante passo da ciência em busca de vida extraterrestre é o estudo do satélite Europa, uma das luas de Júpiter. Em Europa, os cientistas identificaram espessas camadas de gelo semelhantes às que existiram em alguns períodos na Terra. “Acredita-se que debaixo dessa camada de gelo exista um oceano com algum tipo de vida bacteriana parecida com a que deu origem à vida na Terra”, explica o astrônomo.


Para o ufólogo Reginaldo de Athayde, as descobertas acima são apenas algumas partes do que as autoridades mundiais conhecem e divulgam sobre vida alienígena. “Não há dúvidas de que seres de outros planetas estão nos visitando há muito tempo. Personalidades como Jimmy Carter, Ronald Reagan e Adolf Hitler, dentre outros, já tiveram contatos com ETs. Alguns governantes firmaram acordos com esses seres para eles nos fornecerem tecnologias e, em troca, levarem humanos para realizarem experiências. Essas informações foram escondidas da sociedade por muito tempo, mas agora alguns países estão abrindo seus arquivos sobre óvnis”, diz.


Demerval Carneiro afirma que os relatos dos ufólogos e das pessoas que afirmam terem sido abduzidas devem ser encarados com desconfiança. “Se você for investigar a vida dessas pessoas vai descobrir que elas enfrentam ou enfrentaram algum tipo de problema psíquico”, afirma o astrônomo. Segundo Carneiro, mesmo que exista vida em outros planetas, seria praticamente impossível sermos visitados por extraterrestres, pois as distâncias no Universo são enormes.


Para explicar melhor as distâncias no Universo, os cientistas criaram a unidade astronômica ano-luz, que corresponde à distância percorrida pela luz em um ano: 9,4605284 × 1015 metros ou 9.461 trilhões quilômetros.

Para termos ideia dessas distâncias, suponhamos que exista vida inteligente em Próxima Centauri, a estrela mais próxima da Terra fora do sistema solar, localizada a 4,2 anos-luz de distância. Se os habitantes dessa estrela decidissem visitar a Terra e dispusessem de um ônibus espacial que viaja com a velocidade da luz (300.000 km/s), maior velocidade possível para qualquer coisa viajar no Universo, eles levariam cerca de 4 anos para chegar até o nosso planeta.


Por causa das distâncias no Universo, podemos afirmar que nós enxergamos o céu do passado, pois a luz emitida por Próxima Centauri, por exemplo, leva 4,3 anos-luz para chegar à Terra. Assim, se a estrela Próxima Centauri explodisse neste exato momento, só ficaríamos sabendo daqui a 4,3 anos-luz.


Entre teorias conspiratórias, relatos e pesquisas científicas sérias, o que se sabe com certeza hoje é que não existe nenhuma prova científica da existência de vida fora da Terra. No entanto, a ciência continua se esforçando para responder ao questionamento sobre a existência de vida alienígena e a tantos outros questionamentos sobre o Universo.


Eles estão entre nós?


Os resultados obtidos pela ciência na busca por vida em outros planetas não têm sido suficientes para que muitas pessoas no mundo inteiro deixem de acreditar que a Terra está sendo visitada por ETs. A literatura ufológica mundial está repleta de casos de avistamentos de óvnis e abduções.


O famoso caso Roswell (Novo México, EUA), por exemplo, ocorrido em 1948, ainda intriga milhões de pessoas, que acreditam na queda de uma nave espacial nessa cidade e na captura de seres alienígenas pelo governo americano.


No Brasil, um dos casos de maior destaque é conhecido como “A noite oficial dos óvnis”, ocorrida em 1986, quando aviões da Força Aérea Brasileira foram enviados para interceptar 21 Objetos Voadores Não Identificados que faziam evoluções na região de São José dos Campos (SP). Segundo os pilotos que participaram da ação, não foi possível identificar esses objetos, pois eles voavam em alta velocidade, dificultando a aproximação dos aviões. O caso teve grande repercussão na mídia e o brigadeiro Otávio Júlio Moreira Lima, então Ministro da Aeronáutica, deu entrevistas na televisão afirmando que os objetos que sobrevoaram os céus do Brasil naquela noite ainda não tinham sido identificados. Até hoje o caso não foi completamente explicado.


Outro acontecimento que ganhou destaque na mídia nacional e internacional foi o caso do ET de Varginha. Em 1996, três garotas avistaram em um terreno baldio uma criatura estranha que possuía três protuberâncias na cabeça e pele viscosa. Assustadas, as garotas correram para casa e contaram o incidente à mãe de uma delas. A notícia logo se espalhou e uma série de coincidências e fatos estranhos começou a acontecer. Os ufólogos afirmam os militares brasileiros capturaram pelo menos duas criaturas extraterrestres em Varginha no dia em que as meninas viram a estranha criatura, mas até hoje nada foi provado.


Para Demerval Carneiro, casos como o de Varginha ocorrem porque as pessoas não conhecem e não estão acostumadas a ver algumas espécies de animais e alguns tipos de deformações que podem acontecer em fetos humanos e de outros animais. “Por não conhecerem, algumas pessoas de deparam com animais ou com fetos humanos deformados e acreditam que é algo de outro planeta”, diz o astrônomo.

A experiência vivida pelas três garotas de Varginha engrossou a lista de pessoas que afirmam terem tido algum tipo de contato com seres extraterrestres. No Centro de Pesquisas Ufológicas, existe um mapa do Ceará com alfinetes de cores diferentes que indicam os tipos de eventos extraterrestres ocorridos em cada município. Quase todos os municípios estão marcados. O CPU também guarda livros, revistas e DVDs sobre o assunto, fotografias, imagens de ETs e uma porção de objetos que Reginaldo de Athayde afirma terem vindo do espaço. Entre as muitas pedras, o centro abriga um chip supostamente implantado em um médico por alienígenas, água que teria vindo do espaço e pedaços metálicos que o ufólogo afirma serem de uma nave alienígena que caiu em Goiás, no Centro-Oeste do Brasil.


Ao longo dos 50 anos de existência do CPU, Reginaldo de Athayde e seus companheiros de pesquisa conseguiram reunir no centro mais de três mil casos de experiências alienígenas, entre verdadeiros e falsos. Para saber se uma pessoa está mentindo ou dizendo a verdade sobre suas experiências com ETs, o ufólogo explica que são feitas várias entrevistas com a pessoa para observar se ela entra em contradição em algum momento. Caso as entrevistas não sejam suficientes para concluir a veracidade dos relatos, as pessoas podem ser submetidas a detector de mentiras e sessões de hipnose.


Vários casos catalogados pelo CPU foram publicados nos livros Muito Além da Imaginação e Ets Santos e Demônios na Terra do Sol, ambos de Reginaldo de Athayde. Entre eles está o das supostas aparições da Virgem Maria em Baturité (CE), ocorridas entre 1994 e 1997. As supostas aparições da Virgem Maria, anunciadas pelo anunciadas pelo vidente Ernani dos Santos, causaram comoção entre os católicos. Fieis de diferentes partes do Ceará e até mesmo de outros estados se dirigiram para Baturité na esperança de ver a Virgem Maria.


Em uma dessas aparições, uma multidão estimada em sei mil pessoas esperava ansiosa para ver a Virgem. Entre essas pessoas, estavam os ufólogos do CPU, que fotografaram pontos luminosos no céu no momento em que Ernani dos Santos disse ver a santa. Segundo Reginaldo de Athayde, instantes antes desses pontos luminosos aparecerem, o céu, que estava limpo, se encheu de grandes nuvens que pareciam se encaixar umas nas outras e houve uma grande ventania. Para o ufólogo, não houve aparição de santa alguma, o que houve foi o avistamento de naves alienígenas.

A ciência interpreta casos como o de Baturité como manifestações naturais que, devido ao desconhecimento das pessoas e à necessidade dos humanos de ter fé em alguma coisa, são confundidos com aparições divinas e com naves espaciais. Demerval Carneiro explica que, algumas vezes, quando as rochas esquentam, elas podem liberar gases de seu interior, que assumem cores e formas diferentes, levando pessoas a acreditarem que se trata de um óvni. Balões, aviões e outros fenômenos naturais também podem ser confundidos. Segundo o astrônomo, o planeta Vênus, também conhecido como Estrela D’Alva, é constantemente confundido com um óvni. “Em determinadas épocas do ano, quando Vênus está mais visível na Terra, o Planetário recebe um grande número de ligações de pessoas afirmando que viram um óvni, então eu explico que na verdade se trata do planeta Vênus”, conta.

Mesmo assim, muitas pessoas seguem afirmando que tiveram contatos com alienígenas, algumas mulheres afirma que tiveram filhos com os ETs. Mas o grande número de relatos, fotos e vídeos ainda não conseguiram provar que existe vida extraterrestre e que nós estamos sendo visitados por alienígenas. São muitas as teorias, alguns dizem que a espécie humana foi criada a partir de alienígenas, outros afirmam que os ETs estão infiltrados na Terra esperando a hora certa para atacar e dominar o planeta. Para a ciência, no entanto, é preciso obter provas muito mais contundentes para afirmar a existência de vida fora da Terra e elaborar alguma teoria, ainda mais quando as falsificações abundam nesse assunto.

Entre tantas incertezas, cada pequena descoberta feita no Universo pela ciência é um grande passo para a humanidade. Um dia, talvez não muito distante, a ciência descobrirá se as teorias sobre a visitação da Terra por extraterrestres estão corretas ou se o homem está condenado à solidão do Universo.

Vale a pena ler de novo

  • A lição final
  • A sangue frio
  • Crônicas de Nárnia
  • George e o segredo do Universo
  • O caçador de pipas
  • O Pequeno Príncipe

Ache aqui:

Seguidores